Depressão em idosos: como tratar e principais cuidados

A depressão consiste em um transtorno mental que pode surgir em qualquer idade, inclusive pode aparecer a depressão em idosos.

De acordo com estimativas da Organização Mundial de Saúde – OMS, em média 300 milhões de indivíduos têm depressão.

No entanto, a depressão pode surgir aos 60 anos, pois são muitos fatores de risco que influenciam.

Na velhice, normalmente, os idosos enfrentam muitas mudanças, inclusive indesejadas, como perda da autonomia, sentimentos de luto, perdas.

Além disso, os casos mais graves, podem levar ao suicídio. Inclusive, em 2019, nas regiões centro-oeste, nordeste e sul, os índices de suicídio em pessoas com mais de 60 anos, apresentou altas taxas. 

 

Ademais, será muito importante seguir o tratamento. A seguir, confira mais informações sobre a depressão em idosos.

Quais são os principais sintomas da depressão em idosos?

Os sintomas principais da depressão em idosos são a apatia e o sofrimento sentido e elevado. Mas também:

 

  • É muito comum a ocorrência de queixas clínicas como dores, tontura, cansaço recorrente, falta de energia;
  • Mudança do sono, ocorrendo mais insônia do que a hipersonia – excesso de sono;
  • Ausência de apetite;
  • Falta de memória.

Quais cuidados devem ser aplicados em idosos?

  • Não reforçar o estigma que profissionais como psicólogo ou psiquiatra são coisa de doido;
  • Reforçar a importância do tratamento e seguir as orientações dos profissionais de saúde, como: praticar exercícios, comer saudável, tomar os medicamentos;
  • Estimular o idoso a seguir o tratamento psicológico e psiquiátrico;
  • Estar atento se o idoso não está com ideação suicida, pois se estiver precisará ser monitorado;
  • Será possível inserir o idoso em projetos sociais, para aumentar sua interação com pessoas da mesma idade e ajude a melhorar seu quadro;
  • Visitar o idoso com mais frequência, estar atento e se colocar presente para escutá-lo.

A depressão pode surgir relacionada a outras doenças?

A depressão é uma desordem emocional que afeta o metabolismo, por isso pessoas com doenças sem cura, doenças crônicas têm maiores possibilidades de desenvolver a depressão.

 

Além disso, é preciso ter muita atenção ao hipotireoidismo, pois tem sintomas muito semelhantes à depressão.

Quais são os tipos de tratamento para depressão em idosos?

Medicamentos para a depressão

O uso de medicamentos na Depressão em idosos será indispensável, e irá variar de acordo com o estágio do transtorno – leve, moderado ou grave.

 

Nesse sentido, em casos leves, pode se tentar uma abordagem não medicamentosa, mas casos moderados e graves precisam de medicamentos.

 

Além disso, quanto ao uso dos medicamentos para a depressão, o psiquiatra, médico responsável por passar esses remédios, precisa considerar a interação medicamentosa.

 

Desse modo, o paciente idoso, geralmente recorre a outros medicamentos para o tratamento de doenças crônicas.

 

Por isso, cada psiquiatra irá realizar uma avaliação individual de cada paciente para tratar os sintomas e passar o medicamento mais adequado.

Por fim, nunca se automedique, pois existem diferentes fatores considerados ao passar um remédio psiquiátrico.

Acompanhamento psicológico

O acompanhamento psicológico também é um fator essencial na Depressão em idosos.

Dessa forma, em casos leves, é possível tratar a depressão em idosos apenas com psicoterapia. Em casos graves, será necessário o trabalho do psiquiatra com o psicólogo.

Suporte psiquiátrico

Após passar o medicamento para tratar a depressão em idosos, o idoso precisa fazer o acompanhamento com o psiquiatra e receber esse suporte, pois às vezes, será necessário mudar o remédio e mudar a dosagem.

O que causa a depressão na terceira idade?

A depressão em qualquer idade não é causada apenas por um fator, existe uma combinação de elementos: fatores genéticos, fatores biológicos e fatores ambientais. Mas, alguns fatores aumentam o risco da depressão surgir na terceira idade.

 

Nesse sentido, existe uma diminuição de neurotransmissores devido ao processo de envelhecimento; doenças incapacitantes; dor crônica; problemas de sono; utilização de remédios que podem resultar em sintomas depressivos.

Além disso, os fatores de risco ambientes, incluem: saída de filhos da casa; diminuição da renda; perda de cônjuge, amigos ou parentes próximos; estresse; sentimentos de solidão.

Quais as consequências da depressão no idoso?

A depressão em idosos afeta muito a qualidade de vida e tende a se intensificar nos idosos, visto que a recuperação é mais lenta.

Além disso, esse transtorno pode afetar em questões físicas, visto que o idoso perde a vontade de comer, praticar exercícios, participar de programas sociais, tomar remédios.

 

Pode afetar o sono, deixá-los apáticos, fatigados e tudo isso vai interferindo em seu funcionamento diário e trazendo sofrimento.

Ademais, a consequência mais grave desse transtorno é o suicídio, principalmente na terceira idade.

 

Nesse sentido, estudos apontam que idosos tentam suicídio, até sete vezes mais que o adulto jovem.

Quais os maiores problemas que os idosos enfrentam?

Abandono familiar

Muitas vezes, os idosos sofrem com o abandono familiar, pois são deixados de lado, não recebem visitas dos familiares e isso causa muito sofrimento.

Doenças crônicas

Na velhice é cada vez mais comum o surgimento de problemas de saúde crônico, que vão causando sintomas físicos e limitações para os idosos.

Além disso, algumas doenças crônicas vão desencadear outros problemas de saúde, que vão limitar a mobilidade e a alimentação.

Instabilidade no equilíbrio

Com a chegada da idade, alguns problemas de saúde vão surgindo, inclusive a instabilidade no equilíbrio.

 

E com isso podem ocorrer quedas, limitações para andarem sozinhos, morarem sozinhos e vão perdendo sua autonomia.

Sendo assim, os idosos sofrem bastante com essas limitações, visto que são muito ativos, na maioria das vezes e passam a ter essa perda da autonomia.

Falta de respeito

O respeito é algo essencial em qualquer relação. No entanto, os idosos são muito desrespeitados.

 

Nesse sentido, é importante ter paciência e prestar atenção às suas falas, reclamações, estar disponível quando precisarem de algo importante, como ser levado ao médico.

Redução da interação social

Nem todos têm paciência para escutar os idosos, somado a isso, nem sempre conseguem encontrar seus amigos da terceira idade e por isso a interação social tende a diminuir.

 

Por isso, é muito importante que sejam inseridos em locais onde se sintam à vontade para conversar, encontrar os amigos e pessoas da terceira idade.

 

Cidades Brasileiras

Abrir WhatsApp
💬 Precisa de Ajuda?
Olá 👋
Podemos te Ajudar?